Rosa Scraps - Declaração de Amor
Rosa scraps
 Declaração de Amor
Gosto de você, não apenas pelo que você é, mas pelo que eu sou quando estou com você.
Gosto de você não apenas pelo que você fez de você mesmo,
mas pelo que você está fazendo de mim.

Gosto de você por saber extrair o que há de bom em mim.

Gosto de você por colocar a mão no meu coração transbordante passando por cima de todas as coisas frívolas e francas que você não pode deixar de ver,e levando para a luz todas as coisas belas e radiantes que jamais alguém encontrou por não ter procurado tão fundo.

Gosto de você por não dar atenção às possibilidades do tolo que está dentro de mim aumentando minha música por me escutar com reverência.

Gosto de você por estar me ajudando a construir com os trastes da minha vida, não uma taverna e sim um templo, e com minhas palavras, não uma censura, e sim uma canção.

Gosto de você por ter feito mais do que qualquer doutrina para me fazer feliz.

Você o fez sem um toque, sem uma palavra, sem um sinal.
Você o fez sendo você mesmo.

É tão grande e intenso o meu amor por você...
é maravilhoso ter na vida da gente alguém tão especial...

Faço dos meus dias eternas alegrias,só de pensar que deus colocou no meu caminho uma pessoa igual á você,carinhoso,simpático,companheiro,amigo.....você é o único que pode me fazer a pessoa mais feliz do mundo,porém,se por acaso algum dia você faltar, não sei se conseguirei prosseguir em minha caminhada!

Eu te amo tanto,haja forças para agüentar todo esse amor que me invade, e faz com que eu seja tão feliz.nada é capaz de me separar de você,pq eu quero ser muito feliz ao lado do homem q escolhi para viver para sempre.tudo o que eu sinto por você não se compara com nada,pois é tão forte e tão bonito,é uma das mais grandes maravilhas que deus nos deu,o amor!eu te amo e te amarei até o fim,porque mesmo que o amor vire algo extinto no mundo,eu sim,quero sempre te amar!eu desejo toda a felicidade do mundo para nós,para você,porque você além de tudo merece tudo de bom nessa vida!

Nunca se esqueça,que não há ninguém nesse mundo capaz de te amar tanto quanto eu te amo, você não sai da minha cabeça nunca e nem do meu coração,que já por algum tempo entreguei-lhe em especial,para você,que é o fruto do meu viver.porém,repito,você é muito importante e especial para mim,você é tudo o que eu sempre quis e sonhei em toda minha vida,jamais,nada nesse mundo conseguirá tirar de mim esse amor que sustenta minha própria existência,minha própria vida!!!

Assim como eu te amo meu amor da minha vida,tenho a mais sincera certeza que para sempre irei te amar,porque você é tudo para mim!
Eu te amo meu príncipe!

Te amarei até o fim se deus quiser,porque se for pela nossa felicidade ele com certeza quer,porque além de tudo ele só quer a felicidade de seus filhos!!!
jamais esqueça meu amor,eu estou por todos os instantes pensando em você que é a razão do meu viver!!!

Nunca esqueça,que eu te amo muito,você é tudo para mim,a pessoa mais especial e importante que existe na face da terra,enfim,você é tudo que eu sempre quis,és tudo que eu sempre sonhei,você é minha vida!!!


Amar...
Quero fazer do dia de hoje o dia das minhas declarações de amor. Vou esquecer, definitivamente, todas as minhas dúvidas e todos os meus conflitos, para poder fazer de hoje o dia do amor. Quero olhar para quem amo e dizer com palavras, com os olhos e com o coração: "Eu te amo". Quero dizer isso a todos os que os que aprendi a amar. Sem distinção alguma de sexo, parentesco, amizade, coleguismo, vizinhança; enfim, sem nenhuma limitação ou condição; apenas com a sinceridade do meu sentimento. Quero dizer a todos eles: Eu te amo...


Declaração de Amor

Quantas vezes andei te procurando
Não sei, não contei.
Não percebi que te procurava.
Te queria sem saber,
Te sabia e te amava sem querer.
Te sinto meu, te quero meu.

Não sei se paixão, se amor, se amigo,
Sei que mais do que tudo, te quero comigo.
Quero te ver feliz em minhas manhãs,
Ver teu despertar, teus olhos me encontrando,
Tua boca me deixando sentir teu primeiro gosto,
Teu hálito quente e teu cheiro de sono.

Me misturar com teu sonho,
Sem saber ao certo se já desperto,
Ou se te envolvo em meus encantos,
Em nosso desejo macio e branco,
Perdido e surpreso de tão intenso.

Sentir teu suspiro ao meu toque,
Beijar o teu corpo e ouvir teus gemidos,
Assim te quero, menino, perdido...

Te quero e te chamo, e sem chances,
Simplesmente te abraço,
E deixo minha mão na tua,
Na calma de dois em um só.

Porque já te encontrei,
Porque você sempre fez parte de mim,
E por um querer do destino,
Nossa união teve seu tempo certo para acontecer.

E sei quem é você. Você sabe de mim.
E deste momento em diante nosso caminho se funde,
Mesmo sem saber ao certo por onde andaremos,
Mas com uma certeza.

Nosso caminho é direto,
Nosso futuro é concreto.
Nosso destino, a felicidade.

Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
É um andar solitário entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É um cuidar que se ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade
É servir a quem vence o vencedor,
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade;
Se tão contrário a si é o mesmo amor?

SONETO CV
Não chame o meu amor de Idolatria
Nem de Ídolo realce a quem eu amo,
Pois todo o meu cantar a um só se alia,
E de uma só maneira eu o proclamo.
É hoje e sempre o meu amor galante,
Inalterável, em grande excelência;
Por isso a minha rima é tão constante
A uma só coisa e exclui a diferença.
'Beleza, Bem, Verdade', eis o que exprimo;
'Beleza, Bem, Verdade', todo o acento;
E em tal mudança está tudo o que primo,
Em um, três temas, de amplo movimento.
'Beleza, Bem, Verdade' sós, outrora;
Num mesmo ser vivem juntos agora.


Os Três Mal-Amados

O amor comeu meu nome, minha identidade, meu retrato. O amor comeu minha certidão de idade, minha genealogia, meu endereço. O amor comeu meus cartões de visita. O amor veio e comeu todos os papéis onde eu escrevera meu nome.

O amor comeu minhas roupas, meus lenços, minhas camisas. O amor comeu metros e metros de gravatas. O amor comeu a medida de meus ternos, o número de meus sapatos, o tamanho de meus chapéus. O amor comeu minha altura, meu peso, a cor de meus olhos e de meus cabelos.

O amor comeu meus remédios, minhas receitas médicas, minhas dietas. Comeu minhas aspirinas, minhas ondas-curtas, meus raios-X. Comeu meus testes mentais, meus exames de urina.

O amor comeu na estante todos os meus livros de poesia. Comeu em meus livros de prosa as citações em verso. Comeu no dicionário as palavras que poderiam se juntar em versos.

Faminto, o amor devorou os utensílios de meu uso: pente, navalha, escovas, tesouras de unhas, canivete. Faminto ainda, o amor devorou o uso de meus utensílios: meus banhos frios, a ópera cantada no banheiro, o aquecedor de água de fogo morto mas que parecia uma usina.

O amor comeu as frutas postas sobre a mesa. Bebeu a água dos copos e das quartinhas. Comeu o pão de propósito escondido. Bebeu as lágrimas dos olhos que, ninguém o sabia, estavam cheios de água.

O amor voltou para comer os papéis onde irrefletidamente eu tornara a escrever meu nome.

O amor roeu minha infância, de dedos sujos de tinta, cabelo caindo nos olhos, botinas nunca engraxadas. O amor roeu o menino esquivo, sempre nos cantos, e que riscava os livros, mordia o lápis, andava na rua chutando pedras. Roeu as conversas, junto à bomba de gasolina do largo, com os primos que tudo sabiam sobre passarinhos, sobre uma mulher, sobre marcas de automóvel.

O amor comeu meu Estado e minha cidade. Drenou a água morta dos mangues, aboliu a maré. Comeu os mangues crespos e de folhas duras, comeu o verde ácido das plantas de cana cobrindo os morros regulares, cortados pelas barreiras vermelhas, pelo trenzinho preto, pelas chaminés. Comeu o cheiro de cana cortada e o cheiro de maresia. Comeu até essas coisas de que eu desesperava por não saber falar delas em verso.

O amor comeu até os dias ainda não anunciados nas folhinhas. Comeu os minutos de adiantamento de meu relógio, os anos que as linhas de minha mão asseguravam. Comeu o futuro grande atleta, o futuro grande poeta. Comeu as futuras viagens em volta da terra, as futuras estantes em volta da sala.

O amor comeu minha paz e minha guerra. Meu dia e minha noite. Meu inverno e meu verão. Comeu meu silêncio, minha dor de cabeça, meu medo da morte.

POEMINHA SENTIMENTAL

O meu amor, o meu amor, Maria
É como um fio telegráfico da estrada
Aonde vêm pousar as andorinhas...
De vez em quando chega uma
E canta
(Não sei se as andorinhas cantam, mas vá lá!)
Canta e vai-se embora
Outra, nem isso,
Mal chega, vai-se embora.
A última que passou
Limitou-se a fazer cocô
No meu pobre fio de vida!
No entanto, Maria, o meu amor é sempre o mesmo:
As andorinhas é que mudam.


Coisa Amar

Contar-te longamente as perigosas
coisas do mar. Contar-te o amor ardente
e as ilhas que só há no verbo amar.
Contar-te longamente longamente.

Amor ardente. Amor ardente. E mar.
Contar-te longamente as misteriosas
maravilhas do verbo navegar.
E mar. Amar: as coisas perigosas.

Contar-te longamente que já foi
num tempo doce coisa amar. E mar.
Contar-te longamente como doi

desembarcar nas ilhas misteriosas.
Contar-te o mar ardente e o verbo amar.
E longamente as coisas perigosas.


Domingo, 2016-12-11, 2:06 AM
Le saludo Visitante
Inicio | Registrarse | Entrada




[Leia o Livro]

[Assine o Livro]



             



A felicidade não está no fim da jornada
e sim
em cada curva do caminho
que percorremos para
encontrá-la.
Autor: (Desconhecido)
A felicidade não está em viver
mas em saber viver

My House on Web



Domingo, 2016-12-11, 2:06 AM
Le saludo Visitante
Inicio | Registrarse | Entrada
Top30 Brasil - Vote neste site!
Top30 Brasil